Dieta das calorias inteligentes ou Dieta do K.

Como surgiu?

Essa dieta foi elaborada por profissionais da nutrição e posta em prática com resultados confirmados pelo Hospital das Clínicas de São Paulo.

Como funciona?

Na dieta das calorias inteligentes, cada alimento recebe uma quantidade de K, que quer dizer caloria inteligente. A quantidade de K dos alimentos é contada levando-se em conta alguns fatores como suas calorias, capacidade nutricional, índice glicêmico, porcentagem de gorduras saturadas, além do teor de açúcar e sódio.

O índice glicêmico trata-se de uma medida capaz de revelar a velocidade com que os carboidratos dos alimentos são absorvidos pelo organismo, aumentando a quantidade de açúcar na corrente sanguínea. Dessa forma, as comidas com índice glicêmico mais baixo ajudariam no prolongamento da sensação de saciedade e ajudando a pessoa a comer menos e, consequentemente, emagrecer.

dieta das calorias inteligentes

A dieta das calorias inteligentes difere de outras dietas que atribuem pontos aos alimentos, por levar em conta outros fatores para estabelecer a quantidade de K e não apenas a quantidade de calorias.

Na dieta das calorias inteligentes, os alimentos são apresentados em uma tabela com três cores, a saber: verde, amarela e vermelha.

A quantidade total de calorias inteligentes ou “Ks” e de alimentos de cada cor que pode ser ingerida no dia, será estabelecida caso a caso pelo terapeuta nutricional do programa, que fará o cálculo com base em uma fórmula padrão.

Os alimentos que fazem parte da tabela verde podem ser consumidos à vontade (até o limite de “Ks” permitidos para o dia) pois são pouco calóricos, praticamente não tem gorduras e o índice glicêmico é muito baixo. Nem é preciso dizer que a relação de alimentos da tabela verde é composta majoritariamente por verduras, legumes e frutas.

Os alimentos relacionados na tabela amarela são aqueles que devem ser consumidos com cautela e moderação. São alimentos que estão num patamar intermediário no que diz respeito à quantidade de calorias, gorduras e índice glicêmico.

E, como era de se esperar, os alimentos listados na tabela vermelha são aqueles que a pessoa deve evitar e, se ingerir, que seja em pouca quantidade, uma vez que são alimentos com alto teor glicêmico, com muitas gorduras e muito calóricos.

A dieta das calorias inteligentes visa também a manutenção e preservação da saúde, e não apenas o emagrecimento e diminuição da gordura corporal. Por conta disso, a dieta leva em conta também outros fatores como o teor de sódio dos alimentos, uma vez que o consumo excessivo desse mineral está relacionado à hipertensão e determinadas doenças cardiovasculares.

Leia também:

Pela dieta do K, as gorduras são tratadas da seguinte forma:

As gorduras insaturadas são classificadas como “verdes”. Isso ocorre pelo fato da ingestão desse tipo de gordura proporcionar o aumento do HDL ou colesterol bom, trazendo benefícios à saúde da pessoa.

As gorduras saturadas fazem são “amarelas”, pois sua ingestão colabora com o aumento da quantidade de LDL ou colesterol ruim, portanto, devem ser consumidas de forma limitada.

Já as gorduras trans são “vermelhas” por serem consideradas muito prejudiciais ao organismo e à saúde.

Para conhecer a tabela com alguns dos alimentos da dieta, CLIQUE AQUI.

OBS.: O texto tem caráter meramente informativo. Consulte sempre um especialista.

Você pode gostar...