Lipocavitação: tratamento para eliminar gordura localizada.

O que é Lipocavitação?

A lipocavitação trata-se de um tratamento estético feito com a utilização do ultrassom para romper células de gordura e reduzir a gordura localizada que esteja armazenada no corpo, principalmente na região abdominal, cintura e coxas.

Como é feito o tratamento com a técnica da lipocavitação?

O profissional que fará a aplicação do tratamento utiliza uma espécie de cabeçote de uma máquina de emissão de ultrassom, para que as ondas sejam transmitidas à área que precisa ser tratada. Para a melhor propagação das ondas de ultrassom, a área da pele que está sendo tratada é untada com um gel para que as ondas emitidas cheguem de forma adequada às células de gordura.

As células de gordura que recebem as ondas de ultrassom emitidas pela máquina formam os chamados adipócitos, que na verdade são apenas pequenas bolhas, mas que vão aumentando de forma progressiva até provocarem o rompimento da célula, cuja gordura se divide em duas substâncias: ácido graxo e glicerol.

Com essa divisão, o ácido graxo irá se ligar a outra substância denominada albumina e logo depois será eliminada pelo fígado. Já a substância glicerol tem a característica de ser solúvel em água, o que permitirá que seja expelida do organismo pelos vasos linfáticos e através da urina.

lipocavitação técnica eliminar gordura localizada

Indicações e contraindicações da lipocavitação

A Lipocavitação é um tratamento estético, portanto, não deve confundida com tratamento para obesidade ou tratamento para redução do excesso de peso corporal. A indicação principal do procedimento é para a eliminação de gordura localizada.

Subsidiariamente, o procedimento pode trazer melhorias com relação à celulite, mas isso em consequência dos bons resultados obtidos no tratamento da gordura localizada.

Existem rumores que a lipocavitação pode causar danos aos órgãos do organismo por proporcionar o aumento do colesterol com a liberação da gordura, no entanto, isso não passa de mito, pois a quantidade de gordura que as células eliminam é muito pequena para que possa provocar qualquer tipo de prejuízo à saúde da pessoa que é submetida ao tratamento.

Todavia, por precaução, a lipocavitação deve ser evitada em alguns casos:

  • Se a paciente estiver gestante;
  • Se a pessoa que fará o tratamento tiver colesterol elevado;
  • Se o indivíduo apresentar esteatose hepática, condição mais conhecida como doença do fígado gorduroso ou gordura no fígado;
  • Se a pessoa tem ou já teve algum tipo de tumor ou câncer.

A técnica da lipocavitação deve ser aplicada apenas por profissionais com formação e capacitação adequadas, como médicos, fisioterapeutas ou esteticistas devidamente treinados.

Preparação necessária para a lipocavitação.

Apesar de ser um procedimento relativamente simples e não exigir cuidados especiais anteriores, alguns exames são necessários para o paciente que pretende se submeter a esse tratamento para a eliminação de gordura localizada.

Os exames mais importantes antes de iniciar a lipocavitação são:

  • Colesterol;
  • Triglicerídeos;
  • Ultrassom do fígado (para afastar a possibilidade de tumores ou esteatose hepática).

lipocavitação tartamento eliminar gordura localizada

A lipocavitação exige cuidados posteriores ao tratamento?

Apenas alguns cuidados alimentares. Contudo, a drenagem linfática pode ajudar a acelerar a eliminação da gordura liberada. Isso ocorre porque parte da gordura eliminada durante o tratamento da lipocavitação, é diretamente enviada para os vasos linfáticos. A drenagem ajuda o organismo no processo de eliminação dessa gordura.

Leia também:

Quantas sessões são necessárias para obter bons resultados?

A indicação para o tratamento com resultado final é que sejam feitas de quatro a oito sessões de lipocavitação, cada uma com a duração média de trinta minutos. Mas os efeitos positivos já podem ser percebidos logo após a primeira sessão.

A técnica da lipocavitação é totalmente segura?

A segurança do procedimento é comprovada desde que seja usada por profissionais devidamente qualificados, que devem por em prática seus conhecimentos tanto no momento da aplicação da técnica sobre a área que será submetida a tratamento, quanto na hora de conferir e verificar a aferição do aparelho e se certificar do seu bom funcionamento.

Portanto, os possíveis riscos estão diretamente associados ao uso inadequado do aparelho e a aplicação do tratamento por profissional não habilitado para tanto.

Pela falta de preparo, um profissional sem capacitação pode ser o causador de queimaduras ou até mesmo de danos em órgãos, ao utilizar um aparelho sem a correta regulagem e calibragem. Por isso, sempre escolha uma clínica de confiança ou pelo menos que seja indicada por pessoas que possam afiançar essa confiança.

Você pode gostar...